domingo, 6 de julho de 2008

Sem força para forçar a escrita.
Sem forca para matar a saudade
Sem meio de mudar o que fica
Como se mata saudade?



Arthus Nunes

Um comentário: