quinta-feira, 24 de julho de 2008

Hospedeiro

E uma louca felicidade me cerca.
Vendo se em mim a loucura é real.
Para daí então se instalar
Fazendo de mim habitat natural.

Digo a todos que não há parasita melhor
Sejamos todos hospedeiros de tal sentimento,
Espalhando-se em progressão geométrica
Arruinando qualquer espécie de sofrimento.

Mas só há uma formar de contaminar,
O hóspede só procura uma formação, o par.
Não conseguindo sobreviver na singularidade.

Onde o meio é agressivo e poluente
Procura um par único, sem antecedente.
E se multiplica criando mais felicidade.


Athus Nunes



Um comentário:

Ana Luiza disse...

...hospedar tal sentimento é perigoso não? mas qual a desconfiança diante de tudo?

whatever...
beijos,