domingo, 28 de dezembro de 2008

Maré.

Às margens do capibaribe
escrevo-me em papel.
Tentando calar o mundo
E ouvir a solidão.

Às margens do capibaribe
Reflito-me em águas calmas.
Tentando enxergar tantas
imagens prateadas e turvas.

Às margens do capibaribe
Espancava-me o vento.
Tentando levar embora a dor
deixando-me apenas os pensamentos.

Arthus Nunes.

5 comentários:

Manuca de Paula disse...

caramba, que bonito!

No Silêncio das Montanhas a Linguagem dos Ventos disse...

OLÁ!

Vc deixou-me um recado aqui em meu jardim..nos conhecemos?
obrigada por passar por lá...
e tens mesmo razão..as vezes sem perceber nossas flores tomam outro rumo...

abraços e um ótimo 2009

Flor

Bernardo Sampaio disse...

"Às margens do capibaribe
Espancava-me o vento.
Tentando levar embora a dor"

esse trecho me rendeu belas imagens.
muito legal mesmo a poesia.
falar de recife, seja de q forma for,
é sempre algo interessante, principalmento qdo estamos inspirados.

feliz 2009.

Nós Pós disse...

Oi, Artur!
Legal seu txt.

Manda eles pra nospos@gmail.com
O nosso próximo evento é na sorveteria santo Doce, em Aflitos, dia 22/01, às 19h.
Vc já foi pra algum dos nossos eventos?

Grande abraço!

Carito disse...

Belo poema, belo blog! E obrigado pela visita, e pelo generoso comentário... Valeu!